segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

Nem consigo acreditar que se passou mais um ano, ainda agora estava a despedir-me de 2015 e de 2016 e aqui estou, pronta para me despedir de 2017 e receber 2018 de braços bem abertos.

Que grande ano foi 2017, passeei bastante (fui ao Carnaval de Ovar, ao São João do Porto, andei sozinha de avião pela primeira vez, fui outra vez aos Açores, e gosto de pensar que conheci mais cantinhos especiais de Aveiro, e dei mais valor a Viana e à minha ilha, o Pico, enfim, tantos sítios), tive projetos novos que me encheram o coração, conheci pessoas maravilhosas que adoro, mantive aqueles que, de alguma forma ou outra me eram mais queridos, acabei uma fase da minha vida que se pudesse vivia uma e outra vez, ser caloira - fui batizada, passei frio no desfile académico, gritei até ficar sem pulmões, mas valeu tudo mais do que a pena, . Consequentemente,passei a veterana, então... trajei pela primeira vez, e e muitas vezes a seguir a essa vez. Também tive a minha primeira passeata noturna como veterana, e adorei, apesar de ser tão diferente da passeata enquanto caloira. 

2017 foi um ano muito bom para mim, que, tal como tantos outros, ficará sempre num cantinho especial do meu coração.

No entanto, 2017 foi, acima de tudo, um ano de crescimento pessoal, como já disse no post em que falei do meu ano de Caloira  💓💙 , quando cheguei a Aveiro, decidi ser a melhor versão de mim mesma , aquela alma fofinha cutchi cutchi que sempre quis ser, no entanto, nos meses que se seguiram ao post em questão, enfrentei diversas inseguranças e medos meus, comecei a aplicar em mim conselhos que dava a outras pessoas, e apercebi-me que, na verdade, a minha melhor versão de mim mesma (desculpem a enorme utilização da palavra versão, mas eu sou do signo Gémeos, não que isso queira dizer grande coisa, mas somehow explica bastantes traços das milhentas versões da minha pessoa) não era a versão fofinha cutchi cutchi, mas sim outra, que não consigo definir  concretamente, mas que estou a adorar. 

Mal posso esperar para enfrentar os desafios de 2018, os novos projetos, novos amigos, novas aventuras... bring it on 2018.

Com amor,
Laura

💫Taylor Swift - “New Year’s Day” Fan Performance 💫


sábado, 9 de dezembro de 2017


 “Sometimes I write about my own life. And sometimes I write about situations I see my friends going through. 
Sometimes I write about a scene I saw in a movie. I take inspiration from all different places.”
Taylor Swift

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

"I think that we might have met before, maybe in another time and life. Don't you think?
You looked and sounded so familiar, this might be all in my head, it probably is, but I'd like to believe that someday, we will dance again, along the river and the sea, under the moon and the stars, wouldn't that be nice? Wouldn't it be a dream come true?
Well, I guess that we'll never know. I hope to see you again, probably in another life..."

domingo, 3 de dezembro de 2017


Sinto que, em primeiro lugar, tenho que esclarecer um ponto muito importante, que acabou por moldar a minha personalidade, a minha forma de ser, e como sou vista pelos outros, especialmente por aqueles que me conhecem há mais tempo - eu sou MUITO esquesitinha com a comida, o meu avô sempre me disse na hora das refeições - e ainda diz, apesar de ser estatisticamente alta - "Come neta, come para seres GRANDE".
 Ultimamente a minha "esquisitice" não anda tão crítica, por isso até me tenho aventurado com coisas novas (um exemplo disso são as tripas, já vos falei das tripas? Adoro tripas, e acreditem que se na altura a minha esquisitice não estivesse a um nível tão baixo, nem as tinha experimentado), mas chegar ao sushi foi um avanço extremamente inesperado, posso dizer que só fui porque as minhas amigas convocaram a minha presença (ou seja, perguntaram se eu queria ir, e lá me aventurei, mas só porque até tinha saudades delas e tal)

Fomos ao Glamour Sushi, em "Biana", ao lado das Galerias César, é um espaço lindíssimo, e o serviço foi muito bom, e como têm um sistema tipo rodízio comemos imenso, e no fim pagámos o mesmo, a única coisa que não estava incluída era a bebida, mas isso é um pequeno pormenor.

Em relação à comida em si - comi-a com os pauzinhos, sem grandes problemas, depois de arranjar o jeito (e praticar até a comida chegar) até foi fácil - as algas que rodeavam alguns elementos não são a minha chávena de chá, e custava-me um bocadinho trinca-las, por causa do aparelho, especialmente nas peças grandes que na segunda imagem estão no copo (já disse que a apresentação de tudo estava cinco estrelas ???). E para mim era mais fácil comer os elementos quentes (esqueci-me de fotografar a maior parte deles, por isso não aparecem aqui), por isso foram os meus preferidos. Mas o resto também estava muito bom, embora ache que seria melhor comer o que comemos no Verão, simplesmente por serem mais "fresquinhos", mas não se enganem, saímos de lá cheias !!!

Acabou por ser uma experiência gira, e o grupinho até já decidiu que temos de lá voltar,  portanto, até recomendo.
E vou tentar ser ainda menos esquesitinha para comer, porque para experimentar a primeira peça estive sem brincadeira, dois minutos a olhar para ela, a rever todas as decisões da minha vida que me tinham levado àquele momento.

Oh well...

Com amor,
Laura




A minha foto
19 | Açoriana que cresceu em Viana do Castelo | Hufflepuff | Estudante de Marketing em Aveiro

Old stuff